terça-feira, 26 de agosto de 2008

A estrela ( Manuel Bandeira)



Vi uma estrela tão alta,
Vi uma estrela tão fria!
Vi uma estrela luzindo
Na minha vida vazia.

Era uma estrela tão alta!
Era uma estrela tão fria!
Era uma estrela sozinha
Luzindo no fim do dia.

Por que da sua distância
Para a minha companhia
Não baixava aquela estrela?
Por que tão alta luzia?

E ouvi-a na sombra funda
Responder que assim fazia
Para dar uma esperança
Mais triste ao fim do meu dia.

Manuel Bandeira

Este Poema eu dedico ao querido amigo Lustato Tenterrara.
Ao Poeta, ao escritor, ao ser Humano, ao amigo brilhante que és.
Obrigada por tudo meu amigo.
Beijos Lus



Web Site Counter

3 comentários:

www.lustatotenterrara.com disse...

Quando eu vinha lendo, já estava pensando em comentar a beleza deste poema...
Quando cheguei ao fim, maravilha, tu o dedicastes a mim...

Às vezes penso em deixar a net... Mas são estas outras vezes, alguma pequena frase, um grandioso carinho... que feito mil vozes me dizem, assim, mesmo, baixinho: Fica, Carlos... Lindinha gosta de ti.

Um beijo.

Lustato.

Vanessa"lindinha" disse...

Meu querido Lus,

É este Poema é lindo demais, lembrei de ti quand postei, e não podia deixar de dedica-lo.
Você que se fez tão brilhante no meu caminho como o brilho de uma estrela "maior", um amigo que eu reconheço hoje.

E por favor, não penses em deixar este mundo virtual, pois sem você perderá muito do brilho, do conteúdo que nele eu enxergo hoje.

Tenho uma certeza, o virtual se ti, ficará apenas um mundo vazio e "frio". Tu podes ter uma certeza essa "lindinha" aqui adora o Lustato e muito.

Lus! O teu brilho é luz no trilho desse caminho frio nesse mundo virtual para a estrada real do coração.

Obrigada meu amigo querido.
Beijos de carinho em ti.
"O mundo de lidinha"

Bat-Bea disse...

Eu tinha que decorar ele pra apresentar ele hj !! , ai eu fiquei 4 horas decorando por aqui , e deu certo ! parabens .. belo poema